#desafiodos30textos Dia 03: “Em casa de ferreiro o espeto é de pau.” Todo mundo conhece esse ditado e muita gente pratica, mesmo sem pensar. Acredito que o motivo é fazermos tanto um produto ou coisa, que para nós mesmos acabamos sempre deixando para depois. Algumas pessoas até enjoam do que fazem e acabam não tendo para si.

Eu já mostrei meu último caderno, que fiz de agenda, está comigo desde 2016 e só acabou agora. Costumo anotar muita coisa no notebook, no celular, utilizo aplicativos que facilitam a vida, mas não dispenso o bom e velho papel. Então, já que vou fazer um caderno para mim, que seja o melhor! Separei a estampa disponível que mais gosto no momento, as folhas preferidas, para tudo sair perfeito. O papel escolhido para o miolo foi o pólen 90 g/m² com pauta, mesclado com algumas folhas sem pauta. O papel pólen é muito utilizado para livros, pois sua folha amarelada suaviza a leitura. A costura é a elegante belga, tem essa abertura de capa que parece truque de mágica, fechada lembra um álbum de fotos, simples e muito charmosa. Dois marcadores de página com fita de cetim. Dois porque muitas vezes tem mais de uma coisa importante que gostaríamos de marcar em uma agenda, quem foi que convencionou que só pode uma? Aqui pode o que eu quiser. Ah, e um envelope no final, sempre tem uma folha solta que queremos acumular! E como todos os cadernos feitos por mim, este também é 100% artesanal. Me diz o que achou dele, vou gostar de saber.

#paperart#paperartist#cadernoartesanal